Queimar as cuecas!

A maior parte das pessoas foram confrontadas em algum momento de sua vida com a dificuldade de traduzir uma expressão idiomática, um provérbio, uma piada. Diante deste grande momento de solidão, o tradutor pode ajudá-las. Assim, ele poderá lhe dizer que na Bélgica, quando você vai a uma queimadura de cuecas, você está realmente assistindo a uma despedida de solteira, que no Canadá nem todas as meninas são loiras (blonde), o termo “loira” (blonde) referindo-se neste país a uma namorada. Em Portugal, a namorada não se chama “amiga”, mas “namorada”, porque a amiga não é a oficial, mas a amante, que a “menina” em Portugal, “mademoiselle” em francês, torna-se uma prostituta no Brasil.

Na interpretação é menos importante, porque não traduzimos palavras, mas um conjunto de palavras, uma ideia.

No entanto, tanto a tradução como a interpretação exigem um grande conhecimento do contexto, da história, da cultura e, claro, do vocabulario. Ainda mais quando se trata de expressões idiomáticas, se quisermos transmitir emoções como ironia, sarcasmo, etc.

Deixe uma resposta

1 × three =